Fale conoscoReceba nosso e-news letterReportagens sobre mosaicoFhashes de mosaicos em viagensEventos e novidadesEntrevistas, ambientes, mosaicosMosaicos e seus autoresFatos Interessantes
 
















 

AMBIENTES COM ARTE
O mosaico e a Sumaúma - arte de dentro pra fora




Mosaico de Bea Pereira  


Mosaico de Bea Pereira

 


Mosaico de Bea Pereira

 
 
Mosaico de Bea Pereira
     

A neuropsicóloga e neurocientista Mary Alcântara, única especialista no país em diagnóstico diferencial de doença somática e emocional, abre as portas de sua casa, em Curitiba, para mostrar a arte que vem de dentro pra fora. A alegria está nos detalhes. O jardim, com vista para a biblioteca, exatamente nesta ordem, é o seu espaço favorito.

Apreciadora dos mosaicos e companheira dos livros, Mary decidiu há alguns anos que a biblioteca seria o lugar ideal para receber um projeto exclusivo em mosaico. A mosaicista Bea Pereira,do Depósito da Ordem, foi a escolhida para executar o audacioso trabalho de 9m2.

Mary queria uma árvore no piso, mas não poderia ser qualquer uma. Era preciso algo especial e significativo para ela e a família. Várias árvores foram pesquisadas, mas foi no programa “Um pé de Quê?”, apresentado por Regina Casé que Mary decidiu: seria a Sumaúma.

A árvore dos pajés que invocam seu espírito nos rituais de cura é um dos símbolos da Amazônia. Encantada com as lendas Mary foi a fundo nas pesquisas e conta que por seu grande porte, a Sumaúma é considerada a ligação entre o céu e a terra e a bússola da floresta servindo de orientação para quem navega no Rio Amazonas e seus afluentes.

A médica Mari   A atriz e apresentadora Regina Casé
 
A médica Mary Alcântara, à esquerda, e Regina Casé, atriz e apresentadora
do programa Um Pé de Quê?, que inspirou a escolha da Sumaúma

Ao procurar a mosaicista Bea Pereira para falar do projeto, Mary foi surpreendida com a foto da
Sumaúma que a própria Bea trouxe de uma viagem à Amazônia. A imagem era perfeita e serviu de
guia para a execução do trabalho minucioso que levou um ano e meio entre a estilização e a conclusão.
A ideia era transportar o conhecimento de dentro da biblioteca para fora e as escadas
de acesso ao ambiente seriam o Rio Amazonas em tesselas. “Este trabalho executado pela Bea é para mim a conquista de um sonho. Adoro ficar olhando e essa admiração eu divido com as
pessoas que visitam a minha casa”, diz a médica que tanto pesquisou sobre mosaico que decidiu aprender a arte. Fez mosaicos na cozinha, no banheiro, em seu consultório, peças em cerâmica para utilização em mosaicos e a parede externa, que dá acesso à biblioteca de sua casa, receberá em breve uma revoada de borboletas executadas pela própria Mary Alcântara. “Sempre admirei a arte em mosaico, mas não pensei que fosse capaz. Agradeço à Bea pelo incentivo e por me mostrar o meu lado artístico. Além do prazer e da diversão fico sensibilizada com a troca afetiva que essa arte proporciona através de uma moeda que é o vidro... é o caco...”, diz a médica que hoje, além de fazer mosaico como hobby,


  recomenda a atividade para os pacientes que atende. “No sentido terapêutico o mosaico permite quebrar, desmontar... para refazer de uma forma muito mais criativa do que se imaginava. É a arte transformadora que agrega prazer, beleza, cores... é desmontar fragmentos emocionais e vencer barreiras”, ensina.

O jardim: espaço ideal para
Mary admirar a arte musiva,
na escada, ao fundo
(foto abaixo)




  Mosaico de Mari Alcântara

Tesselas em cerâmica e
mosaicos de Mary Alcântara

 

Fotografias: Fábio Floriano

 
 
 
  LEIA TAMBÉM:

 
  Ambientes com Arte: Restaurante Beto Batata completa 10 anos de arte e gastronomia  
Ambientes com Arte: O mosaico e as especialidades da Banoffi Bistrô
Curiosidades: O mosaico Mixteca


   
     

 

 
Home I Expediente I Anuncie